July 21, 2010

DA DINÂNICA DA MADRUGADA

O conselho mais sábio que eu recebi quando passei a trabalhar na madrugada talvez tenha sido o seguinte:

"Nunca desperdice a oportunidade de um banheiro limpo."

Ele tem várias interpretações. A primeira delas é a literal, que por si só já é muito útil. Outra é que assim que saímos para uma pauta, é impossível prever como a madrugada vai se desdobrar.

Em noites ideais, de céu estrelado e Lua em quarto crescente, a matéria é feita com fluidez. O local da pauta (leia-se crime) está preservado e rende boas imagens, há um pouco de ação ainda em andamento, os envolvidos dão boas entrevistas e voltamos para a redação com um bom material a tempo de editar sem correria.

Mas o ideal, por definição, é só um parâmetro fantasioso. A realidade é muito mais parecida com a última madrugada, que se desenrolou mais ou menos assim:

Acharam uma carga roubada em Guarulhos!”, gritou uma vez no meu rádio às 23h37. Respira fundo.

Aí começa. Entra no carro da TV, toca pra Guarulhos, o GPS não reconhece o endereço, procura no guia, o local estava errado, liga pra fonte, corrige o endereço, encontra o galpão com a carga roubada.

É 00h20. Respira.

Imagens do local, informações com os policiais militares que estavam por lá, segue para a delegacia, tenta falar com o delegado, tenta falar com o escrivão, tenta conseguir imagens dos suspeitos detidos, descobre que o motorista do caminhão roubado está desaparecido há 9 horas, repara num rapaz com uma torre de computador no colo sentado num canto da delegacia.

É 01h12. Respira.

Conversa com o rapaz da CPU, ele tem imagens do assalto à sua lanhouse, começa uma segunda matéria paralela na madrugada, busca o netbook no carro para copiar as imagens do caso da lanhouse, usa a tomada de uma farmácia aberta, o formato é incompatível e não dá certo, volta para delegacia para saber se o caminhoneiro apareceu e tenta mais uma vez conseguir imagens dos detidos. Nada.

São 02h05. Respira.

Volta para o carro, segue para a lanhouse para gravar imagens do local, volta para delegacia, o velho caminhoneiro aparece (!), conversa com o caminhoneiro, entrevista o caminhoneiro, faz uma última tentativa de imagens dos detidos e — agora sim! — com a ajuda de um PM conseguimos fotos e a matéria da carga roubada já tem tudo que precisa, mas a da lanhouse não.

Já são 03h32. Pega um pouco de ar.

Procura o rapaz da lanhouse, abre os computadores, procura programa compatível, faz o download com com a conexão 3G, o deadline das 05h00 se aproxima, consegue copiar as imagens que são muito boas, abre um sorrisão, fecha tudo e volta pro carro.

Já são 04h18. Nem respira.

Toca para a redação para fechar os textos e editar o material que vai ao ar no Bom Dia São Paulo, às 06h30. Suspira aliviado. 

O resultado foi condensado em duas matérias que juntas não somam 3 minutos. A da carga roubada está no vídeo acima e a da lanhouse está AQUI.

Blog comments powered by Disqus